2 de mai de 2009

FAMILIA


UMA HISTÓRIA CORRIQUEIRA

Bob estava deitado no sofá. Os vasos sangüíneos de seu cérebro, inchados, estavam causando dolorosa pressão em sua testa. O trabalho naquele dia havia sido estressante. Agora ele estava em casa tentando relaxar. Ele mal podia esperar para ver a esposa. Talvez ela fizesse a dor passar com uma massagem ou colocasse um pano frio na cabeça dele.

Sara já entrou pela porta da frente reclamando. Isso deu errado, aquilo deu errado, a vida estava dando errado. Bob não levou muito tempo para perceber que ela estava de mau humor, mas ele não estava com vontade de ser compreensivo. Fingiu ouvir enquanto escapava para o banheiro, mas na verdade estava pensando: "Ah, de novo não! Será que ela não vê que não estou me sentindo bem? Ela só pensa em si mesma."

Notando a falta de interesse do marido, Sara ficou mais contrariada ainda. "Será que ele não se importa?", ela pensou. "Ele não está nem ouvindo. Que falta de educação!"

Ambos pensando que suas próprias necessidades não estavam sendo satisfeitas, tanto Bob quanto Sara deixaram que sentimentos de raiva se avolumassem. Até portas foram batidas na cara do outro e lágrimas foram derramadas.

O QUE FAZER NESSAS HORAS?

Parece familiar? Você já esteve em brigas de relacionamento – com seus pais, irmãos, cônjuge ou amigos? Talvez até com Deus? Que conselho você daria a Bob e Sara para encontrarem a paz em seu relacionamento? O que você faz quando as pessoas ao seu redor o irritam, não agem como você gostaria, ou o(a) ferem emocionalmente?

Ter um lar de paz – isso realmente acontece na sociedade moderna? Se fôssemos honestos, admitiríamos que é mais provável que mostremos nossas verdadeiras emoções aos que estão próximos de nós porque nos sentimos mais seguros com eles. Eles têm de amar-nos, certo? Para a maioria de nós não há problema em deixá-los saber quão contrariados estamos. Muitas vezes damos rédeas soltas à nossa ira. Conquanto alguns de nós lutemos com explosões de ira, outros vão ao extremo oposto: são peritos em conservar a paz. Abafam seus sentimentos e tentam não causar agitação. Não percebem que evitar conflitos não traz a verdadeira paz.

Então como ter lares de paz e restauração? Entre outras coisas vejamos o que Deus diz sobre a ira, sobre como lidar com o conflito, e sobre o perdão. Lembre-se, o mesmo Jesus que disse: "Aquiete-se! Acalme-se!" (Marcos 4.39) para o vento e as ondas no Mar da Galiléia pode e quer dominar seus relacionamentos turbulentos. Na verdade, Ele promete fazê-lo (Jeremias 33:6).

"SE NA FAMÍLIA ESTÁ JESUS..."

O que significa para os crentes a ordem: "Irai-vos e não pequeis" (Efésios. 4:26 e 27)?

"Irai-vos e não pequeis" indica que a emoção da ira e o pecado não são a mesma coisa. O sentimento de ira não é pecado em si mesmo. Os membros da família devem dar permissão um ao outro para ter essa emoção e relatá-la sem culpa. "Não se ponha o sol sobre a vossa ira" (Efésios. 4:26) indica que a ira deve ser prontamente processada. A solução final das questões pode levar tempo, mas a ira pode ser freqüentemente dissipada por uma "resposta branda" (Provérbios. 15:1

0 comentários:

Uniao de Blogueiros Evangelicos

PESQUISANDO

Loading...
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios